Na luta contra a corrupção no Brasil falta mecanismos para resgate do dinheiro roubado.

Imagine se pudéssemos resgatar somente o dinheiro roubado em super-faturamentos de obras nos últimos trinta anos no Estado de São Paulo e em Brasília, e se destinássemos essa dinheirama para construção de hospitais, escolas e centros esportivos, como nós teríamos um país bem melhor, com mais saúde e menos violência.

É bom lembrar que nos casos de tráfico de drogas a Justiça brasileira já esta aparelhada para confiscar imóveis, automóveis, aeronaves, dinheiro em conta corrente, etc.

Mas no caso da corrupção, que também impõe o sacrifício de inúmeras vítimas, na verdade de toda a sociedade, nossos legisladores continuam se negando a permitir o mesmo tratamento legal aos criminosos, provavelmente para se proteger em casos de injustificado aumento de patrimônio pessoal ou familiar.

No mais recente caso, envolvendo desvio de centenas de milhões de reais do Ministério dos Transportes, agora aparece uma mansão de 1300 m² em construção em Brasília, justamente do Chefe de Gabinete do ex Ministro.

Em três palavras: sem-vergonha, safado e impune!

Servidor afastado dos Transportes constrói casa de 1.300 m² no DF

Mauro Barbosa, funcionário público de carreira, era chefe de gabinete do ministro Alfredo Nascimento; é sobrinho do Juquinha, presidente da Valec, também demitido pela presidente

BRASÍLIA – Afastado pela presidente Dilma Rousseff como um dos envolvidos no suposto esquema de cobrança de propina do Ministério dos Transportes, o servidor público Mauro Barbosa da Silva está construindo uma casa de 1.300 metros quadrados na privilegiada área do Lago Sul, na capital do País. Pelo tamanho e pela proximidade do imóvel do Lago do Paranoá, corretores avaliam que a construção custará cerca de R$ 4 milhões.

Artigos Relacionados:

Publicado na categoria: Blog do Cidadão Independente | Com a tag , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Efetue a operação abaixo: *