Mendes Ribeiro do PMDB foi aceito por Dilma Rousseff para Ministerio da Agricultura

Valdir Raupp relatou que informação foi dada pelo vice Michel Temer.
Nome de deputado surgiu em reunião de líderes do partido.

O presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), afirmou ao G1 no início da madrugada desta quinta (18) que a presidente Dilma Rousseff aceitou a indicação do deputado federal Mendes Ribeiro (PMDB-RS), atual líder do governo no Congresso, para ministro da Agricultura no lugar do também peemedebista Wagner Rossi, que pediu demissão nesta quarta (17).

Segundo Raupp, o vice-presidente Michel Temer (PMDB) comunicou a decisão a um grupo de líderanças do partido que se reuniu na noite de quarta, após o anúncio da demissão de Rossi, para discutir o nome do substituto a ser oferecido à presidente. Ele disse que Mendes Ribeiro será oficialmente anunciado como ministro nesta quinta e tomará posse na segunda (22) ou na terça (23).

Raupp participou da reunião, no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente. Também estavam presentes ao encontro o líder do partido na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (RN) e o próprio Mendes Ribeiro.

Se Mendes Ribeiro se tornar ministro, a vaga que ele deixará na Câmara será ocupada pelo suplente Eliseu Padilha (PMDB-RS), ex-ministro dos Transportes. Segundo Raupp, Padilha, que teria divergências com o governo, vai se integrar à base aliada.

Antes da decisão da cúpula, o PMDB trabalhava, segundo Michel Temer, com quatro nomes para o Ministério da Agricultura. “O novo ministro terá de ser ficha limpa, como Rossi”, disse o vice.

Wagner Rossi pediu demissão após semanas consecutivas de denúncias de irregularidades na pasta que comandava. A mais recente, nesta terça, dava conta do uso pelo ministro de um jatinho de uma empresa do ramo agropecuário.

A carta de demissão foi publicada no site do ministério. No texto, Rossi agradeceu a “confiança” que recebeu da presidente Dilma Rousseff e classificou de “mentiras” as denúncias contra ele. Disse que teve familiares e amigos atacados. “Minha família é meu limite. Aos amigos tudo, menos a honra”, afirmou.

O G1 apurou que antes de conversar com a presidente Dilma Rousseff, Wagner Rossi, filiado ao PMDB, informou pessoalmente o vice Temer da decisão. Depois, ele se reuniu com a presidente, por volta das 18h40, e entregou a carta de demissão.

Fonte: Globo

Artigos Relacionados:

Publicado na categoria: Notícias | Com a tag , , , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Efetue a operação abaixo: *