Prefeito responde por corrupção passiva

O ex-governador de Sergipe e atual prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), tornou-se réu nesta sexta-feira (15) de uma ação penal no STJ (Superior Tribunal de Justiça) pelos crimes de corrupção passiva, peculato e formação de quadrilha por envolvimento nos crimes descobertos pela Operação Navalha, da Polícia Federal.

Além dele, outras 11 pessoas responderão a ação penal no STJ, incluindo o empresário denunciado como o operador do esquema, Zuleido Veras, o conselheiro do Tribunal de Contas de Sergipe Flávio Conceição de Oliveira Neto e o filho do prefeito, João Alves Neto.

Todos foram denunciados pelo Ministério Público Federal de integrarem e se beneficiarem de um esquema de desvio de recursos públicos e fraudes em licitações.

João Alves Neto responderá a processo pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha. O conselheiro do Tribunal de Contas foi denunciado pelos crimes de corrupção passiva, peculato e formação de quadrilha. Zuleido Veras responderá processo pelos crimes de corrupção ativa, formação de quadrilha e peculato.

A Operação Navalha, deflagrada em 2007 pela Polícia Federal, desmantelou o esquema e provocou a queda do então ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau. As investigações mostraram que Zuleido Veras repassava dinheiro a agentes públicos em troca de contratos com o setor público.

O inquérito julgado ontem pelo tribunal tinha como objeto as obras do Sistema da Adutora do Rio São Francisco, contrato firmado entre a Deso (Companhia de Saneamento de Sergipe) e a construtora Gautama. De acordo com as investigações, houve um desvio de R$ 178,7 milhões, quase 80% do valor da obra.

Fonte: R7

Artigos Relacionados:

Publicado na categoria: Notícias | Com a tag , , , , , | Faça seu Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Efetue a operação abaixo: *